quarta-feira, 24 de maio de 2017

NANISMO EM ANIMAIS - Porque isso ocorre

GIRAFA ANÃ - Sim, isso existe!

O nanismo acontece também em animais.   É muito raro encontrar um animal anão, isso porque a anomalia costuma provocar problemas graves de saúde.
Girafa portadora de nanismo


O nanismo acontece também em animais. 

O nanismo acontece também em animais, contudo, é muito raro encontrar um animal anão. Isso porque a anomalia costuma provocar problemas graves de saúde que, geralmente, levam à morte.

Embora alguns desses animais tenham aparência bem interessante, eles podem ter tudo diminuído: proteínas, massa muscular e metabolismo. Assim, muitos deles morrem logo ao nascer e, os que sobrevivem, não costumam passar dos três anos. Além disso, o nanismo costuma deixar os bichos estéreis.

O nanismo é um distúrbio do crescimento que provoca estatura anormalmente baixa em humanos e em animais.
A anomalia ocorre quando há falta da produção e da secreção do hormônio de crescimento, decorrente da má formação da glândula hipófise, localizada no cérebro.

Em animais, o nanismo ocorre também de forma induzida, através do cruzamento entre diferentes raças pequenas afim de obter uma nova. O resultado disso é um cão com tronco grande e membros atrofiados conhecido como anão.
O famoso cachorro salsichinha é um cão anão, resultado de um cruzamento planejado entre raças de pequeno porte.

Entre os cães, a raça mais afetada pelo nanismo é o pastor alemão.

Em animais, o nanismo ocorre também de forma induzida, através do cruzamento entre diferentes raças pequenas afim de obter uma nova. O resultado disso é um cão com tronco grande e membros atrofiados conhecido como anão.O famoso cachorro salsichinha é resultado de um cruzamento planejado entre raças de pequeno porte.



O nanismo acontece também em animais.   Embora alguns desses animais tenham aparência bem interessante, eles podem ter tudo diminuído: proteínas, massa muscular e metabolismo. Assim, muitos deles morrem logo ao nascer e, os que sobrevivem, não costumam passar dos três anos. Além disso, o nanismo costuma deixar os bichos estéreis.
O nanismo é um distúrbio do crescimento que provoca estatura anormalmente baixa em humanos e em animais.

O nanismo acontece também em animais.   O nanismo é um distúrbio do crescimento que provoca estatura anormalmente baixa em humanos e em animais.  A anomalia ocorre quando há falta da produção e da secreção do hormônio de crescimento, decorrente da má formação da glândula hipófise, localizada no cérebro.
Bode anão

Em animais, o nanismo ocorre também de forma induzida, através do cruzamento entre diferentes raças pequenas afim de obter uma nova.
Gato anão

O nanismo acontece também em animais. Entre os cães, a raça mais afetada pelo nanismo é o pastor alemão.
Entre os cães, a raça mais afetada pelo nanismo é o pastor alemão.  


(Fontes da pesquisa: revistameupet.uol.com.br/, portal.aprendiz.uol.com.br/)


terça-feira, 23 de maio de 2017

ROSINHA-DE-SOL - CARACTERÍSTICAS E CULTIVO

A rosinha-de-sol é uma planta suculenta, rasteira e muito graciosa, além de ser uma das favoritas para a ornamentação de exteriores.

A rosinha-de-sol é uma planta rasteira e muito graciosa, além de ser uma das favoritas para a ornamentação de exteriores.  Por suas características bem peculiares e que pode ser uma boa opção para cultivo, já que é de baixa manutenção. É uma espécie muito recomendada para os chamados jardins de pedras. Elas possuem a ótima capacidade de fechar bem o solo em que é plantada, impedindo o crescimento de ervas daninhas, que danificam muitas plantações.
A rosinha-de-sol é uma planta rasteira e muito graciosa
Por suas características bem peculiares e que pode ser uma boa opção para cultivo, já que é de baixa manutenção.
É uma espécie muito recomendada para os chamados jardins de pedras. Elas possuem a ótima capacidade de fechar bem o solo em que é plantada, impedindo o crescimento de ervas daninhas, que danificam muitas plantações.

As flores se assemelham às margaridas. São belas, muito coloridas e possuem um design bastante interessante. São pequenas e possuem muitas pétalas, finas, com tons bastante diversificados que, dependendo da variedade, passam pelo vermelho ao rosa vivo, podendo ainda serem brancas.

As flores se assemelham às margaridas. São belas, muito coloridas e possuem um design bastante interessante. São pequenas e possuem muitas pétalas, finas, com tons bastante diversificados que, dependendo da variedade, passam pelo vermelho ao rosa vivo, podendo ainda serem brancas.
As flores se assemelham às margaridas
As flores podem ser muito maior em algumas épocas, especialmente na primavera. Elas ficam volumosas até o verão e podem durar até mesmo no inverno, por causa da sua floração casual.
Por isso, ela é dita uma espécie bastante tolerante ao frio, além de ser uma excelente opção para cultivo em todo o país.

As folhas são ovais, com uma cor viva em verde escuro, podendo se apresentar em tons de verde musgo ou verde-claro, com coloração de branco.
Os ramos são volumosos e numerosos apresentam a mesma cor das folhas, sendo bastante brilhantes para ornamentação.

A Rosinha-de-Sol é nativa da África e pertence à mesma família dos cactos e suculentas.
Pode ser usada na forma de forração, em canteiros, maciços, bordaduras e em vasos, sendo eles grande sou pequenos, inclusive naqueles suspensos, em que a planta pode ficar pendente, enfeitando bem o jardim.
Podem também formar grandes berços em vastos gramados, já que sua propagação acontece em uma velocidade alta, espalhando a ramagem por todo o espaço.

A floração se estende durante o ano todo, por causa do seu ciclo de vida perene. As flores são muito atrativas para insetos como abelhas e borboletas, ajudando a enfeitar os jardins externos. É também uma planta que pode ser ingerida, se aproximando do espinafre em termos de sabor.

As flores podem ser muito maior em algumas épocas, especialmente na primavera. Elas ficam volumosas até o verão e podem durar até mesmo no inverno, por causa da sua floração casual. Por isso, ela é dita uma espécie bastante tolerante ao frio, além de ser uma excelente opção para cultivo em todo o país.
A floração se estende durante o ano todo


Para plantar a famosa rosinha de sol:
Como a espécie é típica de países africanos, ela se desenvolve melhor em clima equatorial, subtropical, tropical e temperado.
A altura da planta pode ir até os seus 15 cm de altura, mas varia de acordo com o clima e quantidade de Sol que receber, quanto mais, melhor.

Cultivo
As folhas são ovais, com uma cor viva em verde escuro, podendo se apresentar em tons de verde musgo ou verde-claro, com coloração de branco. Os ramos são volumosos e numerosos apresentam a mesma cor das folhas, sendo bastante brilhantes para ornamentação.
A rosinha-de-sol rejeita solos muito úmidos
No solo, é preciso colocar muita matéria orgânica, sendo os mesmos bastante arenosos. Já em solos mais compostos por argilas, para garantir seu cultivo eficiente, é preciso adicionar um composto orgânico composto por bastante areia e elementos mais secos, incluindo cascas semi decompostas para finalizar a preparação para cultivo.
Cuidado com os solos úmidos demais e altamente encharcados. Eles não servem para estas plantas.

O canteiro para o plantio deve ter pelo menos 15 cm de profundidade e rica em matéria orgânica.  Adicione composto, a areia, e cascas secas, se for muito necessário.

O espaçamento entre as covas ou as mudas deverá ser de mais ou menos 20 cm e no mínimo 15 cm. Isso deverá ser feito por a planta se propaga de forma muito rápida, se espalhando velozmente.

É importante notar que a rosinha-de-sol se desenvolve melhor em solos secos.

Propagação
A propagação das mudas também é uma etapa importante do seu cultivo. Para começar, é preciso utilizar um ramo com pelo menos 3 ou 4 gemas de folhas.
Elas podem ser colocadas em um recipiente com areia de construção não muito úmida. A manutenção dessa umidade é necessária para que ocorra o enraizamento das mudas.

Rosinha-de-Sol(Aptenia Cordifolia) - A espécie é nativa da África e faz parte da família Aizoaceae, a mesma dos cactos e suculentas.
A Rosinha-de-Sol é nativa da África e pertence à mesma família dos cactos e suculentas. Pode ser usada na forma de forração, em canteiros, maciços, bordaduras e em vasos, sendo eles grande sou pequenos, inclusive naqueles suspensos, em que a planta pode ficar pendente, enfeitando bem o jardim. Podem também formar grandes berços em vastos gramados, já que sua propagação acontece em uma velocidade alta, espalhando a ramagem por todo o espaço.
Rosinha-de-Sol(Aptenia Cordifolia) - A espécie é nativa da África e faz parte da família Aizoaceae, a mesma dos cactos e suculentas.



A floração se estende durante o ano todo, por causa do seu ciclo de vida perene. As flores são muito atrativas para insetos como abelhas e borboletas, ajudando a enfeitar os jardins externos. É também uma planta que pode ser ingerida, se aproximando do espinafre em termos de sabor.
Rosinha-de-Sol(Aptenia Cordifolia) - A espécie é nativa da África e faz parte da família Aizoaceae, a mesma dos cactos e suculentas.

Para plantar a famosa rosinha de sol: Como a espécie é típica de países africanos, ela se desenvolve melhor em clima equatorial, subtropical, tropical e temperado. A altura da planta pode ir até os seus 15 cm de altura, mas varia de acordo com o clima e quantidade de Sol que receber, quanto mais, melhor.
Rosinha-de-Sol(Aptenia Cordifolia) - A espécie é nativa da África e faz parte da família Aizoaceae, a mesma dos cactos e suculentas.

terça-feira, 2 de maio de 2017

FLOR-DE-MAIO - Conheça, Cultive e Encante-se

Apresentando flores cor de rosa, brancas, laranjas e vermelhas, as flores-de-maio se abrem nas noites de Outono.
Simbolicamente, ela representa o amor sublime e ao florir, desperta os sentimentos mais belos.

Apresentando flores cor de rosa, brancas, laranjas e vermelhas, as flores-de-maio se abrem nas noites de Outono. A planta possui caule formado por vários gomos artículos que podem ser destacados para formar novas plantas. Seu ciclo de vida é perene(permanente).
A flor de maio, é uma espécie que pertence à família dos cactos, porém, sem espinhos.

FLOR-DE-MAIO - A planta possui caule formado por vários gomos artículos que podem ser destacados para formar novas plantas. Seu ciclo de vida é perene(permanente).
É uma espécie que pertence à família dos cactos, porém, sem espinhos. É originária do Brasil, das Regiões de Mata Atlântica do sudeste, onde cresce em troncos de árvores e rochas

De nome científico Schlumbergera truncata, seus nomes populares são: Flor de maio, cacto de natal, cacto de páscoa, flor de seda.
Embora, originária de regiões em nossas florestas tropicais, a planta já possui diversos híbridos resultantes do cruzamento com outros cactos do mesmo gênero.

Curiosidade e Cuidados que a flor-de-maio precisa:
Apresentando flores cor de rosa, brancas, laranjas e vermelhas, as flores-de-maio se abrem nas noites de Outono. A planta possui caule formado por vários gomos artículos que podem ser destacados para formar novas plantas. Seu ciclo de vida é perene(permanente).
Schlumbergera truncata,Seu ciclo de vida é perene(permanente). 
A flor-de-maio não suporta temperaturas muito baixas, nem muito altas, mas crescem relativamente em climas amenos com temperaturas a partir de 12º. Daí seu nome flor-do-outono.
Quanto a iluminação, o ideal para ela é sombra parcial com boa luminosidade. embora tolere luz solar direta, pode ter seu desenvolvimento prejudicado quando exposta por mais de 4 horas ao sol forte sob altas temperaturas.

A época de sua floração espetacular, ocorre sempre no outono e início do inverno. Sua floração costuma ser induzida por noites longas e temperaturas entre 10º e 20º graus.
Quando florida deve ser mantida à meia sombra e regada uma vez por semana.
O substrato recomendado para a flor-de-maio é o mesmo das orquídeas: terra vegetal com casca de pinos ou jacarandá.

Seu crescimento é semelhante ao de algumas orquídeas, e do mesmo modo, podem ser fixadas em troncos de árvores, onde essas plantas se desenvolvem bem.
No período de floração aumente a frequência das regas com o cuidado de manter o substrato úmido sem encharcar o solo.

A flor de maio, é uma espécie que pertence à família dos cactos, porém, sem espinhos. É originária do Brasil, das Regiões de Mata Atlântica do sudeste, onde cresce em troncos de árvores e rochas  De nome científico Schlumbergera truncata, seus nomes populares são: Flor de maio, cacto de natal, cacto de páscoa, flor de seda.  Embora, originária de regiões em nossas florestas tropicais, a planta já possui diversos híbridos resultantes do cruzamento com outros cactos do mesmo gênero.
Schlumbergera truncata - podem ser fixadas em troncos de árvores
Embora seu ciclo seja perene, muitas vezes ela não resiste bem ao esforço da floração, os gomos do caule ficam murchos e quebram-se com facilidade. No extremo, a planta morre de estresse. Para evitar isso, é preciso redobrar os cuidados com a nutrição. Após o florescimento, aumente ligeiramente as regas e acrescente um pouco de húmus de minhoca ou adubo rico em fósforo (o “P” do consagrado trio NPK). Última dica: aproveite os gomos soltos para produzir novas mudas. É facílimo, basta fixar um pedaço deles em terra umedecida
quando plantada em vasos, recomenda-se o replantio a cada três anos para renovação do substrato e fortalecimento da planta.



A flor de maio, é uma espécie que pertence à família dos cactos, porém, sem espinhos. É originária do Brasil, das Regiões de Mata Atlântica do sudeste, onde cresce em troncos de árvores e rochas  De nome científico Schlumbergera truncata, seus nomes populares são: Flor de maio, cacto de natal, cacto de páscoa, flor de seda.  Embora, originária de regiões em nossas florestas tropicais, a planta já possui diversos híbridos resultantes do cruzamento com outros cactos do mesmo gênero.
A flor-de-maio não suporta temperaturas muito baixas, nem muito altas, mas crescem relativamente em climas amenos com temperaturas a partir de 12º. Daí seu nome flor-do-outono.

A flor-de-maio não suporta temperaturas muito baixas, nem muito altas, mas crescem relativamente em climas amenos com temperaturas a partir de 12º. Daí seu nome flor-do-outono. Quanto a iluminação, o ideal para ela é sombra parcial com boa luminosidade. embora tolere luz solar direta, pode ter seu desenvolvimento prejudicado quando exposta por mais de 4 horas ao sol forte sob altas temperaturas.
Para produzir novas mudas da flor-de-maio, basta fixar um pedaço deles em terra umedecida

A flor-de-maio não suporta temperaturas muito baixas, nem muito altas, mas crescem relativamente em climas amenos com temperaturas a partir de 12º. Daí seu nome flor-do-outono. Quanto a iluminação, o ideal para ela é sombra parcial com boa luminosidade. embora tolere luz solar direta, pode ter seu desenvolvimento prejudicado quando exposta por mais de 4 horas ao sol forte sob altas temperaturas.
FLOR-DE-MAIO - Conheça, Cultive e Encante-se

A flor-de-maio não suporta temperaturas muito baixas, nem muito altas, mas crescem relativamente em climas amenos com temperaturas a partir de 12º. Daí seu nome flor-do-outono. Quanto a iluminação, o ideal para ela é sombra parcial com boa luminosidade. embora tolere luz solar direta, pode ter seu desenvolvimento prejudicado quando exposta por mais de 4 horas ao sol forte sob altas temperaturas.
FLOR-DE-MAIO - Conheça, Cultive e Encante-se

Simbolicamente, ela representa o amor sublime e ao florir, desperta os sentimentos mais belos.


A época de sua floração espetacular, ocorre sempre no outono e início do inverno. Sua floração costuma ser induzida por noites longas e temperaturas entre 10º e 20º graus. Quando florida deve ser mantida à meia sombra e regada uma vez por semana. O substrato recomendado para a flor-de-maio é o mesmo das orquídeas: terra vegetal com casca de pinos ou jacarandá.
Apresentando flores cor de rosa, brancas, laranjas e vermelhas, as flores-de-maio se abrem nas noites de Outono.

A época de sua floração espetacular, ocorre sempre no outono e início do inverno. Sua floração costuma ser induzida por noites longas e temperaturas entre 10º e 20º graus. Quando florida deve ser mantida à meia sombra e regada uma vez por semana. O substrato recomendado para a flor-de-maio é o mesmo das orquídeas: terra vegetal com casca de pinos ou jacarandá.
De nome científico Schlumbergera truncata, seus nomes populares são: Flor de maio, cacto de natal, cacto de páscoa, flor de seda.

Embora seu ciclo seja perene, muitas vezes ela não resiste bem ao esforço da floração, os gomos do caule ficam murchos e quebram-se com facilidade. No extremo, a planta morre de estresse. Para evitar isso, é preciso redobrar os cuidados com a nutrição. Após o florescimento, aumente ligeiramente as regas e acrescente um pouco de húmus de minhoca ou adubo rico em fósforo
Quando florida, deve ser mantida à meia sombra e regada uma vez por semana.


Embora seu ciclo seja perene, muitas vezes ela não resiste bem ao esforço da floração, os gomos do caule ficam murchos e quebram-se com facilidade. No extremo, a planta morre de estresse. Para evitar isso, é preciso redobrar os cuidados com a nutrição. Após o florescimento, aumente ligeiramente as regas e acrescente um pouco de húmus de minhoca ou adubo rico em fósforo
Quando plantada em vasos, recomenda-se o replantio da flor-de-maio a cada três anos para renovação do substrato e fortalecimento da planta.

Seu crescimento é semelhante ao de algumas orquídeas, e do mesmo modo, podem ser fixadas em troncos de árvores, onde essas plantas se desenvolvem bem. No período de floração aumente a frequência das regas com o cuidado de manter o substrato úmido sem encharcar o solo.
Embora seu ciclo seja perene, muitas vezes ela não resiste bem ao esforço da floração, os gomos do caule ficam murchos e quebram-se com facilidade.

Seu crescimento é semelhante ao de algumas orquídeas, e do mesmo modo, podem ser fixadas em troncos de árvores, onde essas plantas se desenvolvem bem. No período de floração aumente a frequência das regas com o cuidado de manter o substrato úmido sem encharcar o solo.
Embora seu ciclo seja perene, muitas vezes ela não resiste bem ao esforço da floração, os gomos do caule ficam murchos e quebram-se com facilidade.

(Fontes da pesquisa:
siguta.com.br/2016/06/cacto-em-flor-de-maio-colorindo-o-outono.html
veja.abril.com.br/
Wikipedia)

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Tricotar Suéteres Para Galinhas Poedeiras ??

Galinhas de suéteres - Parece piada, mas há quem invista na ideia e colha bons resultados. 

A ação gera proteção contra o frio e aumento na produção de ovos.


Um grupo de aposentadas de um asilo nos Estados Unidos, se uniu para uma causa que ninguém sabia que existia: proteger galos e galinhas do frio durante o inverno. E como elas fizeram isso? Produziram suéteres de tricô para os galináceos.
Galinhas de suéteres - Parece piada, mas há que garanta que a ação gera proteção contra o frio e aumento na produção de ovos.
Um grupo de aposentadas de um asilo em Massachusetts, Estados Unidos, se uniu para uma causa que ninguém sabia que existia: proteger galos e galinhas do frio durante o inverno. Elas produziram suéteres de tricô para os galináceos.
“Nem nos meus sonhos mais loucos eu pensei em tricotar suéteres para galinhas”, disse Barbara Widmayer, de 76 anos, uma das aposentadas, à CBS News.

As galinhas contempladas são criadas em uma propriedade vizinha para um fundo de caridade. E, segundo os administradores do local, a produção de ovos multiplicou-se desde a chegada dos agasalhos.
Galinhas de suéteres - Parece piada, mas não.
As galinhas contempladas são criadas em uma propriedade vizinha e pertencem a um fundo de caridade. A porta-voz local disse que a produção de ovos multiplicou-se desde a chegada dos agasalhos.
Segundo ela, algumas galinhas se preparam para o frio trocando de penas, mas outras, principalmente raças importadas de países tropicais, não têm a mesma programação biológica.
Segundo ela, algumas galinhas se preparam para o frio trocando de penas, mas outras, principalmente raças importadas de países tropicais, não têm a mesma programação biológica.
Galinhas de suéteres - Parece piada, mas não.
(Fonte:https://www.surrealista.com.br/2017/03/aposentadas-tricotam-sueteres-para-galinhas-com-frio-e-producao-de-ovos-aumenta/)

A ideia é um ótimo modo de unir o frio à falta do que fazer. Nada prático mas bem positivo. Afinal, qualquer um produz mais e melhor quando em boas condições de saúde e conforto, sejam humanos ou não. E ainda serve de terapia ocupacional para as idosas.

Mas se a moda pega, vai faltar tricoteiras e lã pra agasalhar toda a bicharada! 


A ideia é um ótimo modo de unir o frio à falta do que fazer. Nada prático mas bem positivo. Afinal, qualquer um produz mais e melhor quando em boas condições de saúde e conforto, sejam humanos ou não. E ainda serve de terapia ocupacional para as idosas.  Mas se a moda pega, vai faltar tricoteiras e lã pra agasalhar toda a bicharada!




A ideia é um ótimo modo de unir o frio à falta do que fazer. Nada prático mas bem positivo. Afinal, qualquer um produz mais e melhor quando em boas condições de saúde e conforto, sejam humanos ou não. E ainda serve de terapia ocupacional para as idosas.  Mas se a moda pega, vai faltar tricoteiras e lã pra agasalhar toda a bicharada!
Galinhas de suéteres - Parece piada, mas não.


A ideia é um ótimo modo de unir o frio à falta do que fazer. Nada prático mas bem positivo. Afinal, qualquer um produz mais e melhor quando em boas condições de saúde e conforto, sejam humanos ou não. E ainda serve de terapia ocupacional para as idosas.  Mas se a moda pega, vai faltar tricoteiras e lã pra agasalhar toda a bicharada!
Galinhas de suéteres - Parece piada, mas não.

A ideia é um ótimo modo de unir o frio à falta do que fazer. Nada prático mas bem positivo. Afinal, qualquer um produz mais e melhor quando em boas condições de saúde e conforto, sejam humanos ou não. E ainda serve de terapia ocupacional para as idosas.  Mas se a moda pega, vai faltar tricoteiras e lã pra agasalhar toda a bicharada!


sábado, 22 de abril de 2017

CONSCIÊNCIA PARA A NÃO-AGRESSÃO

Saiba o que caracteriza e como combater o crime de maus tratos a animais

Além dos maus tratos comuns ou agressivos, já bem conhecidos de todos nós, há ainda outros que, muitas vezes, são praticados e vistos como se fossem tratamentos normais. 
Veja quais são e conscientize-se:
mas que a caracterização deste sofrimento é tratada como subjetiva, ou seja, o responsável pelo animal o deixa sozinho ou preso durante todo o dia, em um espaço pequeno, sem abrigo e alimentação... Essas são situações que para muitos donos podem parecer normal, mas que caracterizam-se como maus-tratos.
Para quaisquer casos de maus tratos contra animais não há outra saída senão denunciar 

Como se não bastasse os maus tratos contra animais domésticos ou domesticados, há lojas que abrigam animais em gaiolas minúsculas, sem qualquer condição de higiene; cães presos em correntes curtas o dia todo; proprietários que batem covardemente em seus animais ou os alimentam de forma precária, levando o animal à inanição; e cavalos e jumentos sendo usados na tração de carroças, açoitados e em visível estado de subnutrição ainda presenciamos aquelas situações em que sabemos que o animal está sofrendo, mas que a caracterização deste sofrimento é tratada como subjetiva, ou seja, o responsável pelo animal o deixa sozinho ou preso durante todo o dia, em um espaço pequeno, sem abrigo e alimentação... Essas são situações que para muitos donos podem parecer normal, mas que caracterizam-se como maus-tratos.

Para estes e tantos outros casos de maus tratos contra animais, não há outra saída: Denunciar e recorrer às leis. A legislação no Brasil protege os animais desde 1934, data do decreto 24.645, de junho daquele ano, que protege os animais domésticos (cães, gatos, pássaros, etc.) e os pertencentes à fauna brasileira (papagaios, tucanos, onças, jabutis, entre outros) ou os exóticos (elefantes, leões, ferrets), além dos animais de trabalho (cavalos, jumentos) ou produção (aves, gado, suínos) e determina quais atitudes podem ser consideradas como maus-tratos.


mas que a caracterização deste sofrimento é tratada como subjetiva, ou seja, o responsável pelo animal o deixa sozinho ou preso durante todo o dia, em um espaço pequeno, sem abrigo e alimentação... Essas são situações que para muitos donos podem parecer normal, mas que caracterizam-se como maus-tratos.
Alguns animais têm os membros quebrados a pauladas e ficam sem os cuidados veterinários para a sua recuperação.
Entres os exemplos de maus-tratos podemos citar:
- Abandonar, espancar, golpear, mutilar e envenenar;
- Manter preso permanentemente em correntes;
- Manter em locais pequenos e anti-higiênicos;
- Não abrigar do sol, da chuva e do frio;

- Deixar sem ventilação ou luz solar;
- Não dar água e comida diariamente;
- Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido;
- Obrigar a trabalho excessivo ou superior a sua força;
- Utilizar animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse;
- Promover violência como rinhas de galo, farra-do-boi etc...

Mais recentemente, a lei federal de crimes ambientais nº 9605 de 16/02 de 1998 reforçou o decreto de 1934 e especificou várias violações e penalidades para aqueles que praticam crimes contra os animais.

Segundo o artigo 32 desta lei, maus-tratos de animais são classificados como qualquer ato de abuso e maus-tratos. Ferir ou mutilar animais domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos também é crime de maus-tratos que tem como pena a detenção de três meses a um ano e multa.

A mesma lei também prevê como crime o abandono do animal. Idem para a prática de experimentos científicos que incorram no sofrimento do animal.

O abandono de animais no Brasil ocorre de maneira indiscriminada e milhares de cães e gatos são deixados nas ruas por diversos motivos. Uma solução para diminuir o grande número de abandonos de animais domésticos é a posse responsável, devendo a sociedade evitar esse problema. Infelizmente, os animais são maltratados das maneiras mais perversas, entretanto, com penas mais graves cominadas, os referidos delitos iriam diminuir.

Com relação aos cavalos e jumentos utilizados para transportar cargas - como materiais de construção e mudanças-, o governador Luiz Fernando Pezão sancionou no dia 08/01/2016 uma lei que criminalizando este tipo de maus-tratos.  Desde então, o cidadão que flagrar os animais sendo utilizados dessas maneiras em carroças ou charretes poderá chamar a polícia, em todo o Estado do Rio. O animal será recolhido, e o condutor indiciado e penalizado de acordo com as leis vigentes relacionadas a maus tratos aos animais.

Vale ressaltar que a proibição do uso de animais não se aplica às espécies utilizadas nas áreas rurais ou às charretes encontradas em áreas turísticas e de lazer.
mas que a caracterização deste sofrimento é tratada como subjetiva, ou seja, o responsável pelo animal o deixa sozinho ou preso durante todo o dia, em um espaço pequeno, sem abrigo e alimentação... Essas são situações que para muitos donos podem parecer normal, mas que caracterizam-se como maus-tratos.
todos os animais estão suscetíveis a violência e ao abandono.
Outra questão que precisa ser levantada, é a de que não só os cavalos, mas todos os animais estão suscetíveis a violência e ao abandono.

Há casos, como espancamento ou envenenamento, que requerem intervenção policial e jurídica imediata. E não é preciso ser advogado nem membro de entidade protetora para registrar uma ocorrência; Vá à delegacia mais próxima, de preferência com outra testemunha, para lavrar um boletim de ocorrência (BO). Se for o caso, leve o máximo de documentação possível (fotos, laudo de veterinário, laudo toxicológico e etc.) para dar suporte à sua denúncia. Se preferir, peça ao escrivão sigilo quanto aos seus dados.

Ao denunciar os maus tratos, o Estado se torna autor do processo representado pelo Ministério Público, fiscal das leis, onde a ele cabe a função de proteger e, também, possui capacidade para representar os animais, nos termos da Constituição Federal de 1998, onde o animal se encontra sob tutela do Estado.

Portanto, na verdade, não é você quem estará abrindo um processo judicial e sim o Estado. Uma vez concluído o inquérito para apuração do crime, o Delegado o encaminhará ao Juízo para abertura de ação, onde o Autor será o Estado.

Uma vez que todos os animais existentes no País são tutelados pelo Estado, os animais serão assistidos em juízo pelos representantes do Ministério Público, seus substitutos legais e pelos membros das Sociedades Protetoras dos Animais.

Mas sabemos, e compreendemos, que muitas pessoas preferem fazer sua denúncia de forma anônima. Sempre preocupado com estas questões, o Linha-Verde – projeto exclusivo do Disque-Denúncia contra crimes ambientais -, que luta de forma incansável no combate aos maus tratos de animais, disponibiliza sua central de atendimento para o recebimento de denúncias sobre todo e qualquer tipo de violência que os animais possam sofrer.

No ano de 2015, o Disque-Denúncia recebeu 107.226 (cento e sete mil, duzentas e vinte e seis) denúncias e os crimes relacionados à classe Crimes Ambientais, apareceu em quinto lugar, com 7.535 (sete mil quinhentas e trinta e cinco) denúncias.

Na classe de Crimes Ambientais, o tipo de assunto com o maior número de denúncias, é Maus Tratos Contra os Animais, com 3.619 (três mil seiscentas e dezenove) denúncias, representando 48% do total de denúncias dessa classe de assuntos. Campo Grande é o bairro do município do Rio de Janeiro com o maior número de denúncias, sendo cadastradas 378 (trezentas e setenta e oito) denúncias. O mês de julho de 2015 foi o mês de com o maior número de informações, sendo cadastradas 748 (setecentas e quarenta e oito) denúncias.
mas que a caracterização deste sofrimento é tratada como subjetiva, ou seja, o responsável pelo animal o deixa sozinho ou preso durante todo o dia, em um espaço pequeno, sem abrigo e alimentação... Essas são situações que para muitos donos podem parecer normal, mas que caracterizam-se como maus-tratos.
Infelizmente, os animais são maltratados das maneiras mais perversas

O maior número de denúncias de Maus Tratos Contra Animais ocorre contra:
Cachorros
Gatos
Cavalos
Pássaros
Galos de briga


São inúmeros os relatos de animais de estimação que são mal alimentados, não recebem água, ficam expostos ao sol e a chuva, além de serem violentamente agredidos por aqueles que deveriam cuidar do bem estar de seus animais de estimação. Temos alguns relatos de gatos e cães de pequeno porte que, durante as agressões, são arremessados contra a parede. Alguns animais têm os membros quebrados a pauladas e ficam sem os cuidados veterinários para a sua recuperação.

Conheça o teor de alguns relatos em diferentes tipos de crime:

 - MUTILAÇÃO DE ANIMAIS
Conforme relatos anônimos, filhotes de cachorro tem o rabos e orelhas cortados sem anestesia, em local impróprio sem nenhum tipo de assepsia, favorecendo o quadro de infecções dos filhotes. Temos relatos de mutilação de gatos e pássaros também.

- MAUS TRATOS CONTRA ANIMAIS EM PET SHOP
Temos relatos de pet shop, onde os filhotes ficam confinados e expostos ao público em caixas acrílicas, como se fossem aquários minúsculos, onde os animais ficam impossibilitados de se movimentar, defecam e urinam no mesmo local praticamente, um em cima do outro.

- GALOS DE BRIGA
No ano de 2015, o Disque-Denúncia cadastrou 90 (noventa) denúncias sobre localização de criadores e locais onde ocorrem rinhas de galo. O município do Rio de Janeiro é o primeiro lugar com 33 (trinta e três) denúncias. Duque de Caxias ficou em segundo lugar, com 14 (quatorze) denúncias. Em terceiro lugar, é o município de Mesquita com 07(sete) denúncias.


Todas as denúncias recebidas foram encaminhadas às autoridades para que pudessem ser investigadas e seus agressores punidos.

Se você vir um animal sendo maltratado; utilizado para carregar carga ou objetos pesados; abandonado na rua ou em estradas; e sofrendo qualquer tipo de maus tratos, DENUNCIE!.

Ligue para o Linha- Verde;  o Disque Denúncia do Meio Ambiente.

Tel: 0300 253 1177 ou (21) 2253 1177

O anonimato é garantido.

mas que a caracterização deste sofrimento é tratada como subjetiva, ou seja, o responsável pelo animal o deixa sozinho ou preso durante todo o dia, em um espaço pequeno, sem abrigo e alimentação... Essas são situações que para muitos donos podem parecer normal, mas que caracterizam-se como maus-tratos.
São inúmeros os relatos de animais de estimação que são mal alimentados, não recebem água, ficam expostos ao sol e a chuva, além de serem violentamente agredidos por aqueles que deveriam cuidar do bem estar de seus animais de estimação.
(Fonte da matéria: http://disquedenuncia.org.br/noticia.php?id=512)