quarta-feira, 29 de março de 2017

CANÁRIO GILBBER ITALICUS - Sucesso ou um erro de criação seletiva ?

Não, esses pássaros não sofreram maus-tratos, nem estão na época da muda de penas. Os Canários Gibber Italicus são exatamente como seus criadores desejam que sejam. Eles são vítimas, sim, mas da manipulação genética.

Essa aparência sofrida, do Canário Gibber Italicus,  nada condizente com a dos canários mais conhecidos, é fruto de "aprimoramento" genético, praticado por centenas de anos, até se chegar ao ponto desejado. Apesar da aparência decrépita, essa raça possui, segundo seus criadores, um belo timbre de canto.
Apesar da aparência decrépita, o Canário Gibber Italicus, possui, segundo seus criadores, um belo timbre de canto. 

Essa aparência sofrida, do Canário Gibber Italicus,  nada condizente com a dos canários mais conhecidos, é fruto de "aprimoramento" genético, praticado por centenas de anos, até se chegar ao ponto desejado. Apesar da aparência decrépita, essa raça possui, segundo seus criadores, um belo timbre de canto.

Essa aparência sofrida, do Canário Gibber Italicus,  nada condizente com a dos canários mais conhecidos, é fruto de "aprimoramento" genético, praticado por centenas de anos, até se chegar ao ponto desejado. Apesar da aparência decrépita, essa raça possui, segundo seus criadores, um belo timbre de canto.
A manipulação genéticas pode causar anomalias
Atualmente, os criadores podem controlar tudo, desde a formação do esqueleto, o número de penas, a textura, o tamanho, a cor, além da extensão e estilo de canto do pássaro. ou seja, com a manipulação genética, o homem tomou pra si o poder de produzir novas formas vidas.

O problema é que em processos intensivos de cruzamento, nem tudo pode ser controlado. Assim, na mesma  medida que há ganhos, também há perdas genéticas e as anomalias sempre surgem. O resultado é que, não raramente, acaba-se criando "monstros".

No caso desses canários, os danos genéticos podem causar dolorosos (ou até mortais) processos de penas encravadas e alta suscetibilidade a infecções e lesões.
Mas, pelo visto, tudo que importa aos que trabalham no "aprimoramento" da espécie, aos expositores e admiradores, é que as características desejadas estejam presentes no animal, e dane-se o resto.



Essa aparência sofrida, do Canário Gibber Italicus,  nada condizente com a dos canários mais conhecidos, é fruto de "aprimoramento" genético, praticado por centenas de anos, até se chegar ao ponto desejado. Apesar da aparência decrépita, essa raça possui, segundo seus criadores, um belo timbre de canto.
No caso desses canários, os danos genéticos podem causar dolorosos (ou até mortais) processos de penas encravadas e alta suscetibilidade a infecções e lesões.


Essa aparência sofrida, do Canário Gibber Italicus,  nada condizente com a dos canários mais conhecidos, é fruto de "aprimoramento" genético, praticado por centenas de anos, até se chegar ao ponto desejado. Apesar da aparência decrépita, essa raça possui, segundo seus criadores, um belo timbre de canto.
 A aparência sofrida, do Canário Gibber Italicus,  nada condizente com a dos canários mais conhecidos, é fruto de "aprimoramento" genético.


(Fontes da pesquisa: megacurioso.com.br, nacaodospassaros.com)

Nenhum comentário: