sexta-feira, 17 de março de 2017

O VERDE NO CINZA

O VERDE DA NATUREZA, INTEGRADO AO CINZA DAS CONSTRUÇÕES - QUERENDO, DÁ PRA FAZER

Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade em um grande jardim:   Arquitetos da cidade de Lion, Singapura, abraçaram a ideia de que os seres humanos têm um desejo inato para se conectar com a natureza e incorporaram belos projetos paisagísticos às construções prediais. O resultado é essa bela integração entre concreto e natureza!
Uma bela integração entre concreto e natureza - paisagismo de Singapura

Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade em um grande jardim: 

Arquitetos da cidade de Lion, Singapura, abraçaram a ideia de que os seres humanos têm um desejo inato para se conectar com a natureza e incorporaram belos projetos paisagísticos às construções prediais. O resultado é essa bela integração entre concreto e natureza. Um exemplo a ser seguido, sem dúvidas !
 
Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade em um grande jardim:   Arquitetos da cidade de Lion, Singapura, abraçaram a ideia de que os seres humanos têm um desejo inato para se conectar com a natureza e incorporaram belos projetos paisagísticos às construções prediais. O resultado é essa bela integração entre concreto e natureza!
Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade em um grande jardim -  paisagismo de Singapura

Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade em um grande jardim:   Arquitetos da cidade de Lion, Singapura, abraçaram a ideia de que os seres humanos têm um desejo inato para se conectar com a natureza e incorporaram belos projetos paisagísticos às construções prediais. O resultado é essa bela integração entre concreto e natureza!
Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade de Lion em um grande jardim

Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade em um grande jardim:   Arquitetos da cidade de Lion, Singapura, abraçaram a ideia de que os seres humanos têm um desejo inato para se conectar com a natureza e incorporaram belos projetos paisagísticos às construções prediais. O resultado é essa bela integração entre concreto e natureza!
Edifícios que se misturam com a natureza e transforma a cidade de Lion em um grande jardim

ONZE-HORAS - A PLANTA COM HORA MARCADA PARA FLORESCER

FLOR DO DIA - ONZE-HORAS, A PLANTA COM HORA MARCADA PARA FLORESCER.
A onze-horas produz flores delicadas, em cores vibrantes e variadas, fazendo-se uma bela planta ornamental. Seja em vasos, jardineiras ou canteiros, sozinha ou em meio à outras plantas, ela é sempre garantia de jardins belos e floridos.  É uma ótima opção para quem quer flores singelas no jardim o ano inteiro.
Onze-horas - Planta rasteira, de folhas suculentas e finas como palitos, que não costuma passar dos 20 cm de altura. 

A onze-horas produz flores delicadas, em cores vibrantes e variadas, fazendo-se uma bela planta ornamental.
Seja em vasos, jardineiras ou canteiros, sozinha ou em meio à outras plantas, ela é sempre garantia de jardins belos e floridos.
É uma ótima opção para quem quer flores singelas no jardim o ano inteiro.

A planta é chamada de onze-horas por florescer aproximadamente nesse horário. Ao cair da tarde, as flores murcham e caem, dando vez à outras que desabrocharão no dia seguinte e no mesmo horário, sucessivamente.

Onze-horas - Planta rasteira, de folhas suculentas e finas como palitos, que não costuma passar dos 20 cm de altura.
A planta é chamada de onze-horas por florescer aproximadamente nesse horário. Ao cair da tarde, as flores murcham e caem, dando vez à outras que desabrocharão no dia seguinte e no mesmo horário, sucessivamente.  Onze-horas - Planta rasteira, de folhas suculentas e finas como palitos, que não costuma passar dos 20 cm de altura.
Onze-horas dobrada, vermelha e amarela.
É de fácil cultivo e propagação. Basicamente, ela necessita apenas de um punhado de terra, água e Sol para viver e florescer feliz. Com cerca de um mês de vida, ela já está produzindo flores.
Ela pode ainda ser usada como cobertura de solo para preservar sua umidade. 
Por gostar muito de Sol, a onze-horas floresce um pouco menos no inverno. Mas pode ser cultivada em todo o país, pois, consegue suportar até geadas.


Existem duas variações comercializadas da onze-horas (Portulaca grandiflora); a comum e a dobrada. Comuns são as tem apenas uma fileira de pétalas, e dobras são as que apresentam sobreposições de pétalas, chegando a se assemelhar às rosas.
As cores são: rosa, amarelo, laranja, vermelho e branco, ou ainda mescladas em duas cores.
Todas são nativas da América do Sul, inclusive do Brasil, são encontradas também no Continente asiático.

Plantas que costumam ser confundidas com a onze-horas (ou são popularmente chamadas de onze-horas) :
Beldroega, rosinha-de-sol e cacto-margarida. Todas com alguma semelhança entre si e com a onze-horas.
  
 Beldroega (Portulaca oleracea L.) Ela apresenta tamanho semelhante e as mesmas cores da onze-horas; rosa, amarelo, vermelho e branco. No entanto, as folhas são bem diferentes, enquanto a onze-horas tem folhas finas como palitos, a beldroega tem folhas largas.
Beldroega (Portulaca oleracea L.), espécie ornamental.

- Beldroega (Portulaca oleracea L.), ornamental
Ela apresenta tamanho semelhante e as mesmas cores da onze-horas; rosa, amarelo, vermelho e branco. No entanto, as folhas são bem diferentes, enquanto a onze-horas tem folhas finas como palitos, a beldroega tem folhas largas.







Beldroega (Portulaca oleracea L.), selvagem ou silvestre Obs.: É importante distinguir a espécie ornamental e a selvagem da beldroega. Essa última é uma planta daninha, que pode dominar a área de plantio ornamental. Havendo flores no pé, fica fácil diferenciar, pois, elas são miúdas e nada atraentes.
Beldroega (Portulaca oleracea L.), na sua forma selvagem 
Beldroega (Portulaca oleracea L.), selvagem ou silvestre
Obs.: É importante distinguir a espécie ornamental e a selvagem da beldroega. Essa última é uma planta daninha, que pode dominar a área de plantio ornamental. Havendo flores no pé, fica fácil diferenciar, pois, elas são miúdas e nada atraentes.








Rosinha-de-sol (Aptenia cordifolia (L.f.) Schwantes) É de mesmo tamanho, igualmente rasteira e de folhas suculentas como a onze-horas, no mais, são bem diferentes. A flor é composta de inúmeras pétalas, bem finas, e a folha chega a ser maior que a da beldroega.
Rosinha-de-sol (Aptenia cordifolia (L.f.) Schwantes)
- Rosinha-de-sol (Aptenia cordifolia (L.f.) Schwantes)
É de mesmo tamanho, igualmente rasteira e de folhas suculentas como a onze-horas, no mais, são bem diferentes. A flor é composta de inúmeras pétalas, bem finas, e a folha chega a ser maior que a da beldroega.










Cacto-margarida (Lampranthus productus) Tem as folhas finas, muito parecidas com as das onze-horas, porém, a flor é composta por muitas pétalas, bem finas, sendo bastante parecida com a da rosinha-de-sol. A cor mais comum da flor é a rosa, mas encontram-se também amarelas, laranjas, vermelhas, violetas e brancas.
Cacto-margarida (Lampranthus productus)
- Cacto-margarida (Lampranthus productus)
Tem as folhas finas, muito parecidas com as das onze-horas, porém, a flor é composta por muitas pétalas, bem finas, sendo bastante parecida com a da rosinha-de-sol. A cor mais comum da flor é a rosa, mas encontram-se também amarelas, laranjas, vermelhas, violetas e brancas.









É de fácil cultivo e propagação. Basicamente, ela necessita apenas de um punhado de terra, água e Sol para viver e florescer feliz. Com cerca de um mês de vida, ela já está produzindo flores. Ela pode ainda ser usada como cobertura de solo para preservar sua umidade.  Por gostar muito de Sol, a onze-horas floresce um pouco menos no inverno. Mas pode ser cultivada em todo o país, pois, consegue suportar até geadas.

Existem duas variações comercializadas da onze-horas (Portulaca grandiflora); a comum e a dobrada. Comuns são as tem apenas uma fileira de pétalas, e dobras são as que apresentam sobreposições de pétalas, chegando a se assemelhar às rosas.  As cores são: rosa, amarelo, laranja, vermelho e branco, ou ainda mescladas em duas cores. Todas são nativas da América do Sul, inclusive do Brasil, são encontradas também no Continente asiático.
Onze-horas dobrada, vermelha e amarela.
Existem duas variações comercializadas da onze-horas (Portulaca grandiflora); a comum e a dobrada. Comuns são as tem apenas uma fileira de pétalas, e dobras são as que apresentam sobreposições de pétalas, chegando a se assemelhar às rosas.
Onze-horas dobrada, de cor mesclada.
Existem duas variações comercializadas da onze-horas (Portulaca grandiflora); a comum e a dobrada. Comuns são as tem apenas uma fileira de pétalas, e dobras são as que apresentam sobreposições de pétalas, chegando a se assemelhar às rosas.
Onze-horas dobrada



Existem duas variações comercializadas da onze-horas (Portulaca grandiflora); a comum e a dobrada. Comuns são as tem apenas uma fileira de pétalas, e dobras são as que apresentam sobreposições de pétalas, chegando a se assemelhar às rosas.
Onze-horas comum, nas cores branca, amarela, rosa e pink

Plantas que costumam ser confundidas com a onze-horas (ou são popularmente chamadas de onze-horas) : Beldroega, rosinha-de-sol e cacto-margarida. Todas com alguma semelhança entre si e com a onze-horas.
onze-horas comum, na cor branca - Apresenta apenas uma fileira de pétalas

Plantas que costumam ser confundidas com a onze-horas (ou são popularmente chamadas de onze-horas) : Beldroega, rosinha-de-sol e cacto-margarida. Todas com alguma semelhança entre si e com a onze-horas.
Onze-horas dobrada, nas cores amarela, laranja e rosa.

(Fontes da pesquisa: http://revistagloborural.globo.com, meioambientejardim.com,plantas-ornamentais.blogspot.com,)