terça-feira, 22 de novembro de 2016

COBRAS NÃO-PEÇONHENTAS

COBRAS NÃO-PEÇONHENTAS - CONHEÇA ALGUMAS DELAS 

Cobras não-peçonhentas são aquelas que não representam risco de morte. Apesar de não terem veneno, esses seres rastejantes podem causar, além arrepios, acidentes com sintomas bastante incômodos, como dor, dormência, vermelhidão, inchaço, febre, sensação de queimação e até mesmo a transmissão de tétano, infecções secundárias e outras doenças. Portanto, é aconselhável ficar longe delas e, em caso de acidente, procurar atendimento médico imediato para uma melhor avaliação e tratamento.


Caninana (Spilotes pullatus)

Cobras não-peçonhentas
Cobra caninana

Serpente não-peçonhenta com hábitos semi-arborícolas (muitas vezes pode ser encontrada em árvores). Diurna, habita matas e cerrados. Atinge até 2,5 metros de comprimento. Pode se tornar agressiva. Quando isso acontece, infla a região atrás da cabeça e dá botes para sua defesa. É ovípara e alimenta-se de aves e roedores.

Cobra cipó (Chironius sp)

Cobras não-peçonhentas

Cobra cipó - vive em árvores


Serpente não-peçonhenta de hábitos semi-arborícolas. Seu nome vulgar vem de sua coloração, pois se camufla nas árvores, confundindo-se com o ambiente. Ovípara, habita matas e capoeiras. Alimenta-se preferencialmente de anfíbios, possuindo hábitos diurnos. Pode alcançar pouco mais de um metro de comprimento.


Cobra d´água (Liophis miliaris)

Cobras não-peçonhentas

Cobra d´água


Serpente não-peçonhenta de hábitos aquáticos, que habita rios e lagos. Alimenta-se principalmente de peixes e anfíbios. É ovípara e possui hábito tanto diurno quanto noturno. Pequena, normalmente não ultrapassa um metro de comprimento.


Cobra papagaio (Corallus caninus)

Cobras não-peçonhentas - constritora
Cobra papagaio - constritora

Serpente arborícola não-peçonhenta, habitante da Floresta Amazônica. Assim como a jiboia e sucuri, mata suas presas por constrição. Pode alcançar dois metros de comprimento. Alimenta-se de roedores e morcegos. Possui hábitos noturnos e é vivípara.


Falsa coral (Oxyrhopus sp)

Cobras não-peçonhentas
Falsa coral - costuma ser confundida com a verdadeira que é altamente venenosa

Serpente não-peçonhenta, de hábitos noturnos, que imita o colorido das corais verdadeiras. Habita áreas abertas, cerrados e campos. É ovípara e pequena, raramente atinge um metro de comprimento.


Jiboia (Boa constrictor)

Cobras não-peçonhentas - Jiboia, cobra constritora
Jiboia - cobra constritora

Serpente não-peçonhenta que mata por constrição, envolvendo o corpo das presas e as esmagando. Pode alcançar até 4 metros de comprimento. Possui hábitos semi-arborícolas (muitas vezes é encontrada em árvores). Alimenta-se de roedores, lagartos e aves. É vivípara e de hábitos noturnos.

Sucuri (Eunectes murinus)

Cobras não-peçonhentas - Sucuri, a maior serpente brasileira
Sucuri, a maior serpente brasileira

Serpente não-peçonhenta de hábitos semi-aquáticos (muito encontrada em rios e lagos). É a maior serpente brasileira, podendo alcançar até 10 metros. Alimenta-se de mamíferos, aves e jacarés. Possui hábitos diurnos e é vivípara.

Cobra Verde (Philodryas olfersii)

Cobras não-peçonhentas

Cobra Verde - não-venenosa, mas com saliva tóxica 

Serpente que, apesar de pertencer à família de não-peçonhentas, pode causar acidentes sérios. A Cobra Verde é opistóglifa, ou seja, possui um dente inoculador de veneno situado no fundo da boca, na porção posterior do maxilar superior. Ela possui uma saliva tóxica, por isso deve-se tomar cuidado com possíveis acidentes. É um animal arborícola que se camufla nas copas de árvores, em função de seu colorido esverdeado. Pode alcançar até 1,40m e costuma se alimentar de pequenos mamíferos, aves, lagartos e anfíbios.
(Fonte:http://www.ivb.rj.gov.br/cobras_nao_venenosas.html)


VEJA TAMBÉM: 
http://mundoanimalevidaselvagem.blogspot.com.br/2016/11/como-diferenciar-cobras-venenosas-das.html

http://mundoanimalevidaselvagem.blogspot.com.br/2016/11/cobras-venenosas.html

Nenhum comentário: