quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

AVE GUARÁ VERMELHO - A única a colorir a natureza com com essa cor vibrante

A AVE GUARÁ - devido à sua plumagem adquirir uma coloração vermelha intensa, ela se destaca em qualquer paisagem. Seja no azul do céu ou no verde das árvores, o guará é o único a colorir a natureza com com essa cor vibrante! 

Guará-vermelho –  (guará-piranga, guar-a-rubro, guará-pitanga (do tupi, “ave vermelha”) Ela está presente em Trinidad e Tobago (onde é a ave nacional) e na Colômbia, Venezuela, Guianas. Medindo de 50 a 60 cm, ele possui bico fino, longo e levemente curvado para baixo.
Guará-vermelho 


Guará-vermelho –  (guará-piranga, guar-a-rubro, guará-pitanga (do tupi, “ave vermelha”)
Ela está presente em Trinidad e Tobago (onde é a ave nacional) e na Colômbia, Venezuela, Guianas.
Medindo de 50 a 60 cm, ele possui bico fino, longo e levemente curvado para baixo.

Aqui, no Brasil, encontra-se no  litoral norte do Brasil – no Delta do Rio Parnaíba, (Divisa do Ceará com Piauí), na foz do Rio Preguiças (Maranhão), havendo grupos isolados já relatados em São Paulo (Cubatão) e também no Paraná. Antigamente ocorria em todo o litoral brasileiro, até a ilha de Santa catarina. Cidades como Guaratuba (em tupi, guará-tuba significa muito guará), do estado do Paraná, lembram que essas aves ali existiam em grande número.
Guará vermelho - a ave já ocorreu em todo litoral brasileiro
Aqui, no Brasil, encontra-se no  litoral norte do Brasil – no Delta do Rio Parnaíba, (Divisa do Ceará com Piauí), na foz do Rio Preguiças (Maranhão), havendo grupos isolados já relatados em São Paulo (Cubatão) e também no Paraná. Antigamente ocorria em todo o litoral brasileiro, até a ilha de Santa catarina. Cidades como Guaratuba (em tupi, guará-tuba significa muito guará), do estado do Paraná, lembram que essas aves ali existiam em grande número.



Assim como o flamingo cor-de-rosa adquire sua coloração através das algas com as quais ele se alimenta, o guará também obtém seu tom vermelho dos crustáceos que compõem sua dieta. 
O guará anda vagarosamente na água rasa, com a ponta do bico submersa, abrindo e fechando as mandíbulas em busca de caranguejos, caramujos e insetos.
Seu alimento preferido : o caranguejo Uçá de coloração azulada, arroxeada ou avermelhada, o chama-maré ou sarará e o maraquani, que o presenteiam com a cor de suas plumas.

Os filhotes de guará vermelho nascem cinza escuro e, com o passar do tempo, trocam as penas para o tom dos adultos.
Filhote de Guará vermelho
Os filhotes de guará vermelho nascem cinza escuro e, com o passar do tempo, trocam as penas para o tom dos adultos.

No entanto, a falta de ingestão de crustáceos não estimula o metabolismo a produzir tais pigmentos, e a ave, portanto vai gradativamente perdendo a cor, que fica parecida com a das aves jovens. Esse fenômeno ocorre muito em aves de cativeiro, onde a dieta não é à base de crustáceos.






Durante a reprodução o bico do macho torna-se negro e brilhante; as pernas continuando sempre com a coloração vermelha-clara. A fêmea mantém inalteradamente o bico (que é mais fino) pardacento com a ponta enegrecida e as pernas vermelho-esbranquiçadas.
Guará vermelho adulto em seu ninho
Guará-vermelho - reprodução
Durante a reprodução o bico do macho torna-se negro e brilhante; as pernas continuando sempre com a coloração vermelha-clara. A fêmea mantém inalteradamente o bico (que é mais fino) pardacento com a ponta enegrecida e as pernas vermelho-esbranquiçadas. 

Ainda no primeiro trimestre do ano, época da nidificação, eles começam a seleção dos locais e , em seguida, a construção de seus ninhos. Cada casal põe em media três ovos; de cada dois ninhos, apenas um filhote voa. A reprodução é feita em colônias. O ninhos são feitos no alto das árvores à beira dos manguezais e lamaçais litorâneos. A fêmea põe 2 ou 3 ovos de cor cinza-oliváceo com manchas marrons. A ave tem como predadores naturais o gavião e o jacaré de papo amarelo, que também está em risco de extinção.


Na época do descobrimento do Brasil, as penas do guará-vermelho eram muito valiosas entre os índios. As tribos tupinambás e tupiniquins disputavam os ninhos da ave para a confecção de adereços.
Revoada de guarás - A ave já foi abundante no Brasil
Na época do descobrimento do Brasil, as penas do guará-vermelho eram muito valiosas entre os índios. As tribos tupinambás e tupiniquins disputavam os ninhos da ave para a confecção de adereços. Esse fato foi relatado por Hans Staden, um aventureiro alemão que foi aprisionado pelos tupinambás em 1554, pouco depois de chegar ao País numa expedição espanhola.





Eudocimus ruber (Linnaeus, 1758)
Classificação: Ordem Ciconiiformes, Família Threskiornithidae.
Nome em inglês: Scarlet ibis.
Tamanho: 58 cm

A reprodução dos guarás é feita em colônias. O ninhos são feitos no alto das árvores de mangue. A fêmea põe dois ou três ovos de cor bege, com manchas marrons. Os filhotes nascem de cor escura, e peito branco, se tornando completamente vermelhos após 1 e 1 ano e meio de vida.
A reprodução dos guarás é feita em colônias. O ninhos são feitos no alto das árvores de mangue. A fêmea põe dois ou três ovos de cor bege, com manchas marrons. Os filhotes nascem de cor escura, e peito branco, se tornando completamente vermelhos após 1 e 1 ano e meio de vida.

https://mundoanimalevidaselvagem.blogspot.com/
Guará vermelho - https://mundoanimalevidaselvagem.blogspot.com/

A coloração dos guarás deve-se a um pigmento de cor vermelha presente nos caranguejinhos dos quais se alimenta.
Originalmente a espécie estava presente em lamaçais litorâneos e manguezais. A coloração dos guarás deve-se a um pigmento de cor vermelha presente nos caranguejinhos dos quais se alimenta. 

Os guarásImpressionam seus vôos coletivos que pode estender-se de 60 a 70 quilômetros até os lamaçais onde se alimentam de dia.
Os guarásImpressionam seus vôos coletivos que pode estender-se de 60 a 70 quilômetros até os lamaçais onde se alimentam de dia. 

Guarás - Sua cor vermelha intensa do guará, destaca-se ainda mais em grandes bandos
Guarás - Sua cor vermelha intensa do guará, destaca-se ainda mais em grandes bandos 

Guará vermelho - Conhecido também como guará-verme, guará-rubro e guará-piranga (em tupi, ave vermelha).
Guará vermelho - Conhecido também como guará-verme, guará-rubro e guará-piranga (em tupi, ave vermelha). 

Originalmente a espécie estava presente em lamaçais litorâneos e manguezais. A coloração dos guarás deve-se a um pigmento de cor vermelha presente nos caranguejinhos dos quais se alimenta. Em cativeiro, com alimentação diferente, eles adquirem uma coloração desbotada, cor-de-rosa. Reproduz-se em colônias, procuram densa vegetação, por exemplo, extensos manguezais mas havendo ainda poucas informações sobre os locais de reprodução da espécie.
Originalmente a espécie estava presente em lamaçais litorâneos e manguezais. A coloração dos guarás deve-se a um pigmento de cor vermelha presente nos caranguejinhos dos quais se alimenta. Em cativeiro, com alimentação diferente, eles adquirem uma coloração desbotada, cor-de-rosa. Reproduz-se em colônias, procuram densa vegetação, por exemplo, extensos manguezais mas havendo ainda poucas informações sobre os locais de reprodução da espécie. 

Pelo seu colorido vermelho intenso, realçados ainda mais nos grandes bandos em que vive, o guará pode ser considerada uma das aves mais belas do nosso País.
Pelo seu colorido vermelho intenso, realçados ainda mais nos grandes bandos em que vive, o guará pode ser considerada uma das aves mais belas do nosso País. 


Anda vagarosamente na água rasa, com a ponta do bico submersa, abrindo e fechando as mandíbulas em busca de caranguejos, tais como a chama-maré ou sarará e o maraquani. Há grande número destas aves no Estado do Paraná, mas atualmente já extinguiu na região sudeste.
Anda vagarosamente na água rasa, com a ponta do bico submersa, abrindo e fechando as mandíbulas em busca de caranguejos, tais como a chama-maré ou sarará e o maraquani. Há grande número destas aves no Estado do Paraná, mas atualmente já extinguiu na região sudeste. 

A coloração dos guarás deve-se a um pigmento de cor vermelha presente nos caranguejinhos dos quais se alimenta. Em cativeiro, com alimentação diferente, eles adquirem uma coloração desbotada, cor-de-rosa.
A coloração dos guarás deve-se a um pigmento de cor vermelha presente nos caranguejinhos dos quais se alimenta. Em cativeiro, com alimentação diferente, eles adquirem uma coloração desbotada, cor-de-rosa. 

Guará vermelho com a coloração pouco pigmentada, semelhante ao tom salmão dos flamingos
Guará vermelho com a coloração pouco pigmentada, semelhante ao tom salmão dos flamingos
Assim como o flamingo cor-de-rosa adquire sua coloração através das algas com as quais ele se alimenta, o guará também obtém seu tom vermelho dos crustáceos que compõem sua dieta.
Flamingos rosa


(Fontes da pesquisa:jornaldaparnaiba.com, Wikipédia,.multicipios.com.br)

Nenhum comentário: